Instalando e usando o WordPress

Instalação do WordPress

Para começar, baixe o WordPress mais recente em nossa página Baixe o WordPress (ou no site WordPress.org – .org, não .com). O WordPress.org mantém o sistema para download e instalação, e o WordPress.com fornece a hospedagem gratuita do blog, mas não usaremos este.

Descompacte o conteúdo do arquivo do WordPress e carregue-o para seu site, usando o gerenciador de arquivos on line ou via FTP. Deixe numa pasta, por exemplo, www.example.com/blog (você pode renomear a pasta “WordPress” para “blog”, se quiser, ou ainda colocar o conteúdo dela na raiz do site, para ser acessado diretamente). Se estiver fazendo localmente, extraia para uma pasta que esteja em uso pelo servidor web.

Com os arquivos extraídos, é necessário alterar o arquivo wp-config.php. Ele guarda a configuração básica, informando o banco de dados que o sistema usará, e o login e senha de acesso a esse banco de dados. O WordPress vem com um wp-config-sample.php, você pode copiá-lo para a mesma pasta removendo o nome “sample”, ficando apenas wp-config.php. Antes de editá-lo, é necessário ter os dados de acesso ao banco de dados em mãos. Você deve criá-lo usando a interface fornecida pelo seu provedor de hospedagem. Se usar o cpanel (comum em muitos hosts), localize a seção “Banco de dados”, e clique no “Assistente para banco de dados MySQL”, “MySQL Wizard” ou algum texto do gênero.

Ele apresentará uma série de telas intuitivas. Informe o nome do banco de dados (por exemplo, “blogdoze”) e clique em “Próximo passo”, ou “avançar”. Agora é necessário criar um usuário e uma senha. Defina o nome que quiser, e avance. Na última parte, você deve escolher os privilégios que o usuário criado deverá ter no banco de dados. Marque o item “Todos os privilégios”, ou “All privileges”. Antes de ir para o próximo passo, anote o nome do banco de dados, usuário e senha. Normalmente os servidores de hospedagem adicionam um prefixo aos nomes escolhidos (exceto na senha), que corresponde ao seu login no servidor de hospedagem.

Como exemplo: O nome do banco de dados ficou “exploran_blogdoze”, o usuário é o “exploran_teste” e a senha é a mesma senha definida (no exemplo, “teste123”). Definir uma senha é importante para que só você tenha acesso ao banco de dados e aos dados contidos nele, mesmo que outras pessoas saibam o IP do servidor e o nome do banco de dados. Ao clicar no próximo passo na imagem acima, o banco será criado – não se esqueça de marcar todos os privilégios!

Nota: se você já tiver um banco de dados, poderá usá-lo, sem precisar criar um novo. As tabelas usadas pelo WordPress começam com o sufixo “wp_”, que pode ser alterado no arquivo wp-config.php antes de começar a usar o sistema.

Se você mantém o servidor instalado na sua máquina, deverá criar o banco de dados no console do MySQL. Para saber como fazer, leia esta página do Guia do Hardware, onde consta o texto de instalação do Apache + PHP + MySQL no Windows:http://www.guiadohardware.net/tutoriais/apache-php-mysql-windows/banco-dados-outras-configuracoes.html

Em suma, abra o prompt do MySQL, informe a senha de administração, e digite:

create database blogdoze;

Não se preocupe com a criação das tabelas, o sistema de instalação do WordPress fará isso. Crie um novo usuário atribuindo todos os direitos a ele, assim:

grant all on blogdoze.* to teste identified by ‘teste123’;

Onde o banco “blogdoze” deverá já estar criado, “teste” é o nome do usuário desejado e “teste123”, entre aspas simples, é a senha desejada. Note que neste caso não será adicionado sufixo algum ao nome do banco de dados nem ao usuário.

Feito essa parte, edite o arquivo wp-config.php (ou copie o “sample” e cole-o com esse nome) na pasta do WordPress. No começo do arquivo, temos estas indicações:

define(‘DB_NAME’, ‘putyourdbnamehere’); // The name of the database
define(‘DB_USER’, ‘usernamehere’); // Your MySQL username
define(‘DB_PASSWORD’, ‘yourpasswordhere’); // …and password
define(‘DB_HOST’, ‘localhost’); // 99{9eeb70f7dbe31288fb2327b386e95442712f640702adada4ce45490c3a150a0a} chance you won’t need to change this value
define(‘DB_CHARSET’, ‘utf8’);
define(‘DB_COLLATE’, ”);

Na primeira linha, na definição do DB_NAME, informe o nome do banco de dados (no lugar do “putyourdbnamehere”). Na segunda e terceira, informe respectivamente o nome do usuário e a senha. O ponto DB_HOST é muito importante, ele define o servidor do banco de dados. Na maioria dos casos você pode deixar “localhost”, o que indica que o servidor do banco de dados será o mesmo do servidor web (note o comentário na linha do arquivo de exemplo do WordPress). Em alguns provedores, no entanto, o servidor de banco de dados é outro; nesse caso você deverá trocar “localhost” pelo IP (ou hostname) do servidor. Informe-se com seu provedor, caso o localhost não funcione.

De imediato, não se preocupe com as outras entradas do arquivo wp-config.php. Apenas comentando rapidinho:

O valor da variável $table_prefix (que vem como default “wp_”) é o prefixo que o WordPress adicionará aos nomes das tabelas em uso pelo blog no banco de dados. Altere-o apenas se você mantiver vários blogs no mesmo banco de dados, ou se quiser ignorar um blog existente e usar a instalação atual do WordPress para um novo blog, sem precisar reinstalar ou recarregar os arquivos.

E mais abaixo temos o define (‘WPLANG’, ”). Deixe-o assim:

define (‘WPLANG’, ‘pt_BR’);

para que o WordPress fique configurado para o português. Mas para que funcione, você deverá carregar o arquivo de tradução pt_BR.mo para a pasta wp-includes/languages, do WordPress. Ele traduz apenas a administração. A tradução dos textos no site final vai depender do modelo visual escolhido (falamos dos temas mais a frente); dependendo do caso você deverá editar os arquivos do tema desejado manualmente.

Bom, com o wp-config.php atualizado com as configurações do seu banco de dados, acesse pelo navegador a pasta do WordPress, como se você fosse entrar no site. Como o banco de dados estará vazio (mais precisamente, sem as tabelas do WordPress com o prefixo indicado no wp-config.php), ele apresentará uma tela para a instalação

Na primeira tela ele pede o nome do blog, o título que aparecerá no blog (isso sempre poderá ser alterado posteriormente), e um endereço de e-mail. Coloque um e-mail que você possa ler mensagens, não um e-mail fictício. O sistema enviará para ele mensagens de alertas quando postarem comentários no site, além das informações de login assim que concluída a instalação.

Deixe marcado o item que permite que o blog seja visível no Google e em mecanismos de pesquisas, só o desmarque se quiser que seu blog não seja indexado pelos buscadores – no caso de um blog privado, por exemplo.

Ao clicar em “Install WordPress”, ele criará as tabelas necessárias e também um usuário administrativo, com direitos de postar coisas no blog assim como alterar as configurações. Anote o nome de usuário (que geralmente é “admin”) e a senha criada automaticamente. Depois você poderá criar novos usuários (útil em blogs colaborativos, onde várias pessoas participam) e também trocar a senha de administração.

Compartilhe o artigo com um colega!
Imagem padrão
Guga Alves

Analista de Sistemas, Pós graduado em Marketing Digital e idealizador dos sites Tudo Para WordPress e Remotamente.
Possuo sólidos conhecimento de SEO, já trabalhei no maior projeto feito com WordPress no mundo, o WordPress.com e palestrei em diversos eventos como Campus Party e WordCamp Porto Alegre, São Paulo, Florianópolis, Fortaleza e Belo Horizonte.
Organizador do WordCamp Rio de Janeiro 2014 e 2015.

Artigos: 274

21 comentários

  1. Quando crio uma categoria e uma sub categoria, gostaria que a sub categoria aparecesse somente quando clikasse na categoria… Ex.:
    Fotos(categoria)
    Fotos 2011(sub categoria)

    Na cara do blog gpstaria que aparecesse somente a categoria Fotos e quando uma pessoa clikar em fotos aparecesse a sub categoria Fotos 2011 eassimk sucessivamente…
    COMO FAÇO??

  2. Guga, seu tutorial está excelente. Instalei em meu servidor e tudo funcionou. Estou com uma dúvida, como trocar o idioma, do inglês para o português?
    Obrigado,

  3. Possuo um site que trata de assuntos como televisão e artistas famosos que será transformado em WordPress, por um simples fato, sua facilidade de uso. Em minha curta experiência com WP pude perceber que suas funcionalidades são incríveis, além de uma plataforma de gerenciamento dinâmica e intuitiva.
    Agradeço ao Guga por manter este site atualizado, com as melhores dicas de WordPress!

  4. Eu fiz tudo direitinho,mas quando chegou no step 2, Tenho que optar por Plano de pagamento, sendo que minha opção antes foi pelo o free. Não entendi! E como eu não tenho muita paciência , desisti. :-) pode ser que um dia eu tente novamente. Obrigada!

Deixar uma resposta